Glossário
Header shadow

Espécies apadrinhadas

Tamanqueira Aegiphila integrifolia (Jacq.) Moldenke

Família: Lamiaceae, a família da erva-cidreira, do manjericão e do alecrim.

Outros nomes: papagaio, pau-de-tamanco e tamanqueiro.
 
Distribuição Geográfica: Possui registros para quase todos os Estados do Brasil, exceto TO, CE, RN, SE e AL. Assim, é encontrada nos biomas Amazônia, Caatinga, Cerrado e  Mata Atlântica. A tamanqueira é uma espécie nativa, mas não é endêmica do Brasil.
 
Características: Árvore com até 15 m de altura e tronco de 30 cm de diâmetro. A casca é cinzenta e muito fissurada. Os ramos são quadrangulares e suas folhas são simples, opostas e com pelos, chegando a 28 cm de comprimento. As flores são numerosas, esbranquiçadas e dispostas em inflorescências curtas. O fruto é arredondado, vermelho ou alaranjado, contendo apenas uma semente, a qual é oval e pequena. 
 
Usos
Alimentação: Não é utilizada pra este fim. 
Madeira: Considerada leve, mole e fácil de trabalhar, com baixa durabilidade natural. É utilizada para caixotaria, obras internas e fabrico tamancos.
Uso medicinal: Aparentemente não é utilizada para este fim.
Outros usos: A árvore em frutificação é muito bela e por isso é indicada para o paisagismo e para arborização urbana.
 
Curiosidades: Pode ser considerada planta daninha em pastagens devido ao seu rápido crescimento.
 
Informações Ecológicas: É uma espécie pioneira, bem tolerante ao sol e que também é característica de matas mais desenvolvidas. Possui rápido crescimento e é muito indicada para reflorestamentos, principalmente em locais onde a vegetação foi completamente removida. É muito comum em pastos abandonados e terrenos baldios, onde cresce muito bem e tolera incêndios consecutivos. Além disso, produz grande quantidade de frutos que atraem muitos pássaros.
 
Floração: Floresce nos meses de dezembro e janeiro. As flores são melíferas e polinizadas por pequenos insetos.
 
Frutificação: Os frutos amadurecem entre fevereiro e abril, e ficam na árvore por alguns meses, sendo dispersos por aves.
 
Referências:
BACKES, P. & IRGANG. Mata Atlântica: As Árvores e a Paisagem. Porto Alegre, RS: Paisagem do Sul, 2004.
HARLEY, R., FRANÇA, F., SANTOS, E.P. & SANTOS, J.S. 2012. Lamiaceae. In: Lista de Espécies da Flora do Brasil. Jardim Botânico do Rio de Janeiro. Disponível em: <http://floradobrasil.jbrj.gov.br/2012/FB023320>. Acesso em: 20 mai 2012.
LORENZI, H. Árvores Brasileiras: manual de identificação e cultivo de plantas arbóreas do Brasil, vol. 1. 4. ed. Nova Odessa, SP: Instituto Plantarum, 2002.
LORENZI, H. Plantas Daninhas do Brasil: terrestres, aquáticas, parasitas e tóxicas. 4 ed. Nova Odessa, SP: Instituto Plantarum, 2008.
 
* O uso de qualquer planta medicinal deve ser indicado e ministrado por médico ou pessoa capacitada que conheça seguramente a espécie envolvida, seus usos e contra-indicações. Este conteúdo visa apenas informar as utilizações mais comuns das espécies citadas, e desaconselhamos qualquer tipo de automedicação, pois o uso de indevido de algumas plantas pode trazer sérios riscos a vida.
Hr bg