Glossário
Header shadow

Espécies apadrinhadas

Sapucaia Lecythis pisonis Cambess.

Família: Lecythidaceae, a família botânica da castanha-do-brasil (ou do pará) e dos jequitibás.

Outros nomes: castanha-sapucaia e cumbuca-de-macaco.
 
Distribuição Geográfica: É uma árvore nativa e endêmica do Brasil que ocorre nos Estados do PA, AM, AC, RO, MA, PI, RN, PB, CE, BA, MG, ES e RJ. A sapucaia pode ser encontrada então na Mata Atlântica e Amazônia.
 
Características: Árvore com 20 ou 30 m de altura e tronco com cerca de 90 cm de diâmetro. Mas pode chegar a atingir 50m de altura e 1,50m de diâmetro do tronco, o qual é cilíndrico, reto e comprido. A casca é acinzentada, grossa e com fissuras profundas. As folhas são de consistência fina, lisas e de cor rosa quando jovens. As flores são lilás ou roxas e muito perfumadas. O fruto é grande de consistência semelhante à madeira (do mesmo tamanho ou maior que um coco-verde) e pode pesar 2,5kg. Esse fruto é como uma urna (cumbuca) virada para baixo com uma tampa. Quando fica maduro a tampa cai e expõe as sementes. Cada fruto produz entre 20 e 30 sementes que possuem em sua base uma estrutura adocicada e macia apreciada por animais, e são protegidas por uma casca dura e de cor escura. 
 
Usos
Alimentação: Depois de descascadas as sementes são comestíveis da mesma forma que a castanha-do-brasil (ou do pará) e com o mesmo valor nutricional.  
Madeira: Possui madeira pesada, dura e resistente, com boa durabilidade. É utilizada principalmente para obras externas como postes, vigas, alicerces de pontes, portas, janelas, carrocerias etc. Historicamente era utilizada para fabricação de mezenas (tipo de mastro de embarcações a vela). 
Uso medicinal: A casca é utilizada para curar tosses e também, como o óleo das sementes, contra diabetes.
Outros usos: Os frutos são utilizados para vários fins domésticos como vaso de plantas, cumbuca para guardar objetos, pegar água etc. A sapucaia também é muito utilizada para fins ornamentais por sua bela coloração (lilás ou rosa) quando floresce e quando produz novas folhas.
 
Curiosidades: O nome sapucaia vem do Tupi e provavelmente quer dizer “arvore-de-cumbuca”. Na quinta da Boa Vista/RJ, a rua principal inaugurada em 1878 que leva ao Palácio (onde hoje é o Museu Nacional), possui dos dois lados, ao longo de toda sua extensão, dezenas de Sapucaias.
 
Informações Ecológicas: A sapucaia perde totalmente suas folhas na estação seca e é uma árvore característica de matas bem preservadas e úmidas, pois prefere este ambiente aos locais mais abertos e secos. Em florestas mais antigas ocorre como árvore emergente, sobressaindo à altura das copas das outras árvores, sendo considerada espécie clímax nesses locais. Deve ser planta juntamente com espécies pioneiras que fornecem as condições necessárias ao seu desenvolvimento e o crescimento das mudas é relativamente lento. Por atrair diversos animais como macacos, aves, morcegos, pacas e cutias, a Sapucaia deve ser plantada na recuperação de áreas degradadas. 
 
Floração: De setembro a outubro, junto com a produção de folhas novas, dando uma coloração rosa a toda a copa da árvore. É um espetáculo de rara beleza. As flores provavelmente são polinizadas por uma abelha-gigante chamada Xylocopa sp., que é maior que uma abelha-mamangava.
 
Frutificação: Os frutos demoram cerca de 7 meses para amadurecerem e isso ocorre entre agosto e setembro com a árvore já cheia de folhas. Algumas cumbucas desse fruto, depois de abertas, ainda permanecem bastante tempo penduradas na árvore, por isso, olhe bem para cima ao andar embaixo de uma Sapucaia com frutos!
 
Referências:
CARVALHO, P.E.R. Espécies Arbóreas Brasileiras. vol. 2. Brasília, DF: Embrapa Informação Tecnológica; Colombo, PR: Embrapa Florestas, 2006.
Di DOMENICO, H. Léxico Tupi-Português: com aditamento de vocábulos de outras procedências indígenas. Taubaté, SP: UNITAU, 2008.
SMITH, N.P., MORI, S.A. & PRANCE, G.T. 2012. Lecythidaceae in: Lista de Espécies da Flora do Brasil. Jardim Botânico do Rio de Janeiro. Disponível em: <http://floradobrasil.jbrj.gov.br/2012/FB008561>. Acesso em: 30 abr 2012. 
HUTTER, L.M. 1985. A Madeira do Brasil na Construção e Reparos de Embarcações. Revista da Universidade de Coimbra 33: 413-430.
LORENZI, H. Árvores Brasileiras: manual de identificação e cultivo de plantas arbóreas do Brasil, vol. 1. 4.ed. Nova Odessa, SP: Instituto Plantarum, 2002.
 
Curiosidades:
Ao visitar o Green Nation Fest no dia 4 de junho, Gisele Bündchen plantou uma Sapucaia!
* O uso de qualquer planta medicinal deve ser indicado e ministrado por médico ou pessoa capacitada que conheça seguramente a espécie envolvida, seus usos e contra-indicações. Este conteúdo visa apenas informar as utilizações mais comuns das espécies citadas, e desaconselhamos qualquer tipo de automedicação, pois o uso de indevido de algumas plantas pode trazer sérios riscos a vida.
Hr bg