Glossário
Header shadow

Espécies apadrinhadas

Monjoleiro Senegalia polyphylla (DC.) Britton & Rose

Família: Fabaceae, a família botânica do feijão, da sibipiruna, do pau-sangue, do maricá, do jatobá e dos ingás.

Outros nomes: monjoleira, juqueri-guaçu, paricá-branco, paricarana-de-espinho etc.
 
Distribuição Geográfica: No Brasil ocorre em área de Caatinga, Amazônia, Cerrado, Mata Atlântica e Pantanal, sendo encontrada nos Estados do PA, AM, MA, PI, CE, PB, BA, AL, SE, MT, GO, MS, MG, ES, SP, RJ e PR. É uma espécie nativa, mas não endêmica do nosso país.
 
Características: Árvore com até 20 m de altura e tronco com cerca de 60 cm de diâmetro. A casca é cinzenta e não muito grossa, com alguns espinhos enfileirados. As folhas são compostas, terminando de forma par. Suas flores são brancas e abundantes, e o fruto é uma vagem contendo várias sementes achatadas.
 
Usos
Alimentação: Não é utilizada para consumo humano.
Madeira: Considerada mole, mas resistente Sua madeira já foi muito comercializada e é utilizada na marcenaria, tornos e obras internas. 
Uso medicinal: As folhas são utilizadas para baixar a febre.
Outros usos: A casca pode ser utilizada para curtir o couro. É uma espécie ornamental quando florida e pode ser usada na arborização urbana e rural.
 
Curiosidades: O monjolo é um instrumento de madeira, movido à força da água, muito utilizado no meio rural para o beneficiamento do arroz. Logo, monjoleiro pode ser a madeira que é frequentemente utilizada para sua construção, já que a árvore é muito encontrada em beiras de estradas e próximas a habitações rurais. 
 
Informações Ecológicas: É uma espécie pioneira que fornece sombra e condições para outras espécies se desenvolverem. O monjoleiro perde suas folhas quase completamente durante certa época do ano e é importante fornecedor de alimentos para abelhas, que são essenciais para a polinização de centenas de espécies de plantas. É indicada para plantios em reflorestamentos e permanece em diferentes estágios sucessionais das florestas.
 
Floração: Floresce de dezembro a março. As flores são polinizadas por abelhas. 
 
Frutificação: Frutifica nos meses de agosto e setembro, quando está quase completamente sem folhas. As sementes são dispersas no momento da abertura dos frutos que se rompem quando maduros. 
 
Referências:
LORENZI, H. Árvores Brasileiras: manual de identificação e cultivo de plantas arbóreas do Brasil, vol. 1. 4. ed. Nova Odessa, SP: Instituto Plantarum, 2002.
MORIM, M.P. & BARROS, M.J.F. 2012. Senegalia. In: Lista de Espécies da Flora do Brasil. Jardim Botânico do Rio de Janeiro. Disponível em: <http://floradobrasil.jbrj.gov.br/2012/FB101015>. Acesso em: 22 mai 2012. 
PIO CORRÊA, M. Dicionário das Plantas Úteis do Brasil e das Exóticas Cultivadas. vol. 5. Rio de Janeiro: Instituto Brasileiro de Desenvolvimento Florestal, 1984.
WIKIPÉDIA. 2012. Monjolo. Disponível em: <http://pt.wikipedia.org/wiki/Monjolo>. Acesso em 22 mai 2012.
 

 

* O uso de qualquer planta medicinal deve ser indicado e ministrado por médico ou pessoa capacitada que conheça seguramente a espécie envolvida, seus usos e contra-indicações. Este conteúdo visa apenas informar as utilizações mais comuns das espécies citadas, e desaconselhamos qualquer tipo de automedicação, pois o uso de indevido de algumas plantas pode trazer sérios riscos a vida.

Locais de plantio

Padrinhos desta espécie

Missing
TATIANA D` ABADIA RIBEIRO Rio de Janeiro, RJ Espécie: Monjoleiro
Missing
Larissa de Jesus Souza Rio de Janeiro, RJ Espécie: Monjoleiro
Missing
VIVIANE SILVA DE PAULO Sao Joao de Meriti, RJ Espécie: Monjoleiro
Missing
Juliana Soares Rio de Janeiro, RJ Espécie: Monjoleiro
Conheça mais padrinhos desta espécie
Hr bg