Glossário
Header shadow

Espécies apadrinhadas

Jacarandá-branco Platypodium elegans Vogel

Família: Fabaceae, a família botânica do feijão, do pau-brasil, do pau-sangue, do maricá, do jatobá e do monjoleiro. 

Outros nomes: amendoim-do-campo, faveiro, jacarandá-tã, jacarandazinho, secupurina entre outros.

Distribuição Geográfica: É uma espécie nativa, mas não endêmica do Brasil. Ocorre em quase todos os biomas e Estados do país, sendo encontrada na Amazônia, Caatinga, Cerrado e Mata Atlântica, exceto nos Estados do AP, RN, PB, PE, SE, AL, SC e RS. 

Características: Árvore com altura que varia de 8 a 12 metros, e diâmetro do tronco entre 50 a 60 cm. Possui caule reto e casca de cor ferrugínea com fissuras. As folhas são compostas e possuem a parte de cima dos folíolos lisa, e a parte de baixo com pelos (tricomas). As flores são vistosas, amarelas ou alaranjadas e os frutos são de cor de palha e possuem apenas uma semente.

Usos

Alimentação: Não é encontrado registro de uso para este fim.

Madeira: Possui madeira dura, mas de baixa qualidade. É utilizada em ambientes internos, na marcenaria, carpintaria e cabos de ferramentas.

Uso medicinal: Não é encontrado registro de uso para este fim.

Outros usos: É uma espécie ornamental, indicada para paisagismo e arborização em ruas e parques.

Curiosidades: O nome Jacarandá vem do Tupi e significa “o que tem cerne duro, ou a casca dura”.

Informações Ecológicas: É uma espécie pioneira que perde parte de suas folhas em determinada época do ano. Encontrada principalmente em áreas de vegetação secundária, é indicada para plantios de reflorestamento e cresce bem em locais ensolarados e com solo bem drenado. O crescimento das mudas é lento, mas é uma planta rústica e importante para esse tipo de plantio.

Floração: Floresce de setembro a novembro.

Frutificação: Os frutos amadurecem entre setembro e outubro.

Referências:

DI DOMENICO, H. Léxico Tupi-Português: Com aditamento de vocábulos de outras procedências indígenas. Taubaté: UNITAU. 1081 p. 2008.

RAMOS, V.S.; DURIGAN, G.; FRANCO, G.A.D.C; SIRQUEIRA, M.F. & RODRIGUES, R.R. Árvores da Floresta Estacional e Semidecidual – Guia de identificação de espécies. São Paulo: Editora da Universidade de São Paulo: Biota/Fapesp. 2008.

LORENZI, H. Árvores Brasileiras: manual de identificação e cultivo de plantas arbóreas do Brasil, vol. 1. 4. ed. Nova Odessa, SP: Instituto Plantarum, 2002.

 LIMA, H.C. de Platypodium in Lista de Espécies da Flora do Brasil. Jardim Botânico do Rio de Janeiro. Disponível em: <http://floradobrasil.jbrj.gov.br/jabot/floradobrasil/FB23124>. Acesso em: 19 Abr. 2014,

PIO CORRÊA, M. Dicionário das Plantas Úteis do Brasil e das Exóticas Cultivadas. vol. 3. Rio de Janeiro: Imprensa Nacional,


* O uso de qualquer planta medicinal deve ser indicado e ministrado por médico ou pessoa capacitada que conheça seguramente a espécie envolvida, seus usos e contra-indicações. Este conteúdo visa apenas informar as utilizações mais comuns das espécies citadas, e desaconselhamos qualquer tipo de automedicação, pois o uso de indevido de algumas plantas pode trazer sérios riscos a vida.
Hr bg