Glossário
Header shadow

Espécies apadrinhadas

Sabiá Mimosa caesalpiniifolia Benth.

Família: Fabaceae, a família botânica do feijão, do pau-brasil, do pau-sangue, do maricá, do jatobá e do monjoleiro. 

Outros nomes: cebiá, sansão-do-campo e unha-de-gato.

Distribuição Geográfica: É uma espécie nativa e endêmica do Brasil. Ocorre na Caatinga, Cerrado, Mata Atlântica, nos Estados do AM, PA, RO, AL, BA, CE, MA, PB, PE, PI, RN, GO, MS, ES, MG, RJ, SP, PR e SC.

Características: É uma árvore espinhenta com altura entre 5 e 8 m e diâmetro do tronco entre 20 e 30 cm. As folhas são simples e lisas. As flores são muito pequenas, esbranquiçadas, levemente perfumadas e ficam dispostas em inflorescências que lembram espigas. Os frutos são vagens de cor marrom que contêm diversas sementes.

Usos

Alimentação: Não é encontrado registro de uso para este fim.

Madeira: A madeira é pesada, dura, muito brilhante, lisa e de grande durabilidade. É adequada para usos externos, principalmente em moirões, postes e dormentes. Também pode ser utilizada para lenha e carvão.

Uso medicinal: A infusão da casca é usada internamente como tônico e no tratamento de bronquite. Já o uso externo é aplicado na lavagem de ferimentos e para estancar sangramentos.

Outros usos: Possui características ornamentais e pode ser utilizada no paisagismo. Também é bastante empregada como cerca viva. O sabiá é uma espécie apícola.

Curiosidades: O nome sabiá se refere à cor da casca que é parecida com a da plumagem dessa ave. Já o nome do gênero Mimosa vem do Grego e se refere ao movimento, se fechando ou contraindo, que as folhas de algumas espécies parentes do sabiá fazem quando tocadas.

Informações Ecológicas: É uma espécie pioneira, bastante tolerante a locais ensolarados. O sabiá perde parte de suas folhas durante determinada época do ano e prefere locais com solos profundos. Produz grande quantidade de sementes viáveis por ano e possui rápido crescimento, sendo indicada para plantios de reflorestamento em áreas degradadas e de preservação permanente.

Floração: Floresce entre novembro e março. As flores são melíferas e produzem grande quantidade de néctar e pólen.

Frutificação: Os frutos amadurecem entre setembro e novembro.

Referências:

CARVALHO, P.E.R. Espécies Arbóreas Brasileiras. vol. 2. Brasília, DF: Embrapa Informação Tecnológica; Colombo, PR: Embrapa Florestas, 2006.

DUTRA, V.F.; MORIM, M.P. Mimosa in Lista de Espécies da Flora do Brasil. Jardim Botânico do Rio de Janeiro. Disponível em: <http://floradobrasil.jbrj.gov.br/jabot/floradobrasil/FB18776>. Acesso em: 16 Mai. 2014.

LORENZI, H. Árvores Brasileiras: manual de identificação e cultivo de plantas arbóreas do Brasil, vol. 1. 4. ed. Nova Odessa, SP: Instituto Plantarum, 2002.


* O uso de qualquer planta medicinal deve ser indicado e ministrado por médico ou pessoa capacitada que conheça seguramente a espécie envolvida, seus usos e contra-indicações. Este conteúdo visa apenas informar as utilizações mais comuns das espécies citadas, e desaconselhamos qualquer tipo de automedicação, pois o uso de indevido de algumas plantas pode trazer sérios riscos a vida.
Hr bg