Glossário
Header shadow

Espécies apadrinhadas

Tento-Carolina Adenanthera pavonina L.

Família: Fabaceae, a família botânica do feijão, do pau--brasil, do pau-sangue, do maricá, do jatobá e do monjoleiro. 

Outros nomes: carolina, olho-de-pavão, segavé, falso-sândalo, segawê.

Distribuição Geográfica: É uma espécie exótica que foi introduzida no Brasil e em outros países. É encontrada em diversos Estados da Região Nordeste e outras regiões, além de MS, MT, MG, RJ e SP.

Características: Árvore de 12 a 15 m de altura, com tronco de casa lisa. As folhas são compostas e os folíolos são de cor verde escuro. As flores são amarelas, bem pequenas e ficam dispostas em inflorescências em forma de espiga. Os frutos são vagens que se abrem expondo as sementes que são pequenas, com formato que lembra uma lentilha e de cor vermelho brilhante.

Usos

Alimentação: Não é encontrado registro de uso para este fim.

Madeira: A madeira é pesada e compacta, de cor marrom-avermelhada. É utilizada na construção civil, confecção de embalagens e cabos de ferramentas e na marcenaria. 

Uso medicinal: Não é encontrado registro de uso para este fim.

Outros usos: É uma espécie ornamental, indicada para paisagismo e arborização urbana. As sementes são muito usadas na confecção de bijuterias e outros tipos de artesanato.

Curiosidades: O Tento-Carolina tem origem na Índia e na Malásia e é muito cultivado e utilizado no Brasil. O artesanato confeccionado com suas sementes é vendido muitas vezes como sementes de pau-brasil. Contudo, as sementes dessas duas espécies são completamente diferentes.

Informações Ecológicas: É uma espécie que perde parte de suas folhas em determinada época do ano. É rústica, de rápido crescimento e produz grande quantidade de sementes por ano. Apesar de não ser nativa do Brasil, é empregada em plantios de reflorestamos. No entanto, não se recomenda o plantio em áreas de altitude do Sul do Brasil, por ser uma espécie com preferência por locais com clima mais tropical. 

Floração: Floresce em diferentes períodos do ano, com maior intensidade de agosto a dezembro.

Frutificação: Frutifica em diversos períodos do ano, com maior intensidade entre maio e julho.

Referências:

LORENZI, H.; SOUZA, H.M.; TORRES, M.A.V; BACHER, L.B. Árvores exóticas no Brasil: madeireiras, ornamentais e aromáticas. 1. ed. Nova Odessa, SP: Instituto Plantarum, 2003.

SILVA, D.B. & LEMOS, B.S. Plantas da área verde da Super Quadra Norte 416 - Brasília, DF. Embrapa Recursos Geneticos e Biotecnologia, Brasília. 147 p. 2002.

RODRIGUES, A.P.D.C.; OLIVEIRA, A.K.;LAURA, V.A.; YAMAMOTO, C.R.; CHERMOUTH, K.S. & FREITAS, M.H. Tratamentos para superação da dormência de sementes de Adenanthera pavonina L.. Revista Árvore, 33(4), 617-623. 2009.


* O uso de qualquer planta medicinal deve ser indicado e ministrado por médico ou pessoa capacitada que conheça seguramente a espécie envolvida, seus usos e contra-indicações. Este conteúdo visa apenas informar as utilizações mais comuns das espécies citadas, e desaconselhamos qualquer tipo de automedicação, pois o uso de indevido de algumas plantas pode trazer sérios riscos a vida.
Hr bg